Pombos

Os pombos podem parecer aves simpáticas, mas provocam bastante danos a saúde humana.
Aproximar-se deles é algo muito perigoso.

Atualmente, existem mais de 350 espécies desta ave. Nas cidades, os pombos vivem entre 4 e 5 anos, e, na natureza, podem viver até 30 anos.

Para sobreviver, o pombo precisa de três fatores: água, alimento e abrigo. Por causa disso, esta ave facilmente se adapta aos centros urbanos: costuma viver nas frestas das casas, porões, sótãos e se alimentar de grãos, frutos e restos de alimentos. 

Assim, consegue se proliferar facilmente e, devido às doenças que pode transmitir – principalmente através de suas fezes, que também causam danos a patrimônios públicos e privados -, é considerada praga urbana.

Estas aves não podem ser exterminadas – é proibido de acordo com lei do IBAMA, mas podem ser controladas através de barreiras físicas, como a instalação de equipamentos que dificultam o pouso e a instauração de ninhos, e cuidados simples de higiene, como a remoção de ninhos e limpeza constante de possíveis detritos. Tais ações farão as aves migrarem para outro lugar.

Para solucionar os problemas e riscos que os pombos trazem a saúde humana, é necessário contratar o serviço de controladoras de pragas, que, de maneira profissional e responsável, vai resolver este problema. Entre em contato com a KLIN e solicite um orçamento!

Doenças nos seres humanos

Salmonelose (Salmonella)

Popularmente conhecida como Salmonella, a salmonelose é uma doença que ocorre através das fezes dos pombos. Estas, ao secarem, tornam-se poeira, e podem ficar presas em frutas e vegetais que, se não forem bem lavados, podem transmitir e contaminar as pessoas com a bactéria.

Os sintomas mais comuns são: náuseas e vômitos por mais de 24 horas, diarreia intensa, dor de barriga constante e febre baixa.

Criptococose (Cryptococcus neoformans)

Causada por um fungo que se desenvolve nas fezes dos pombos, a criptococose é uma das principais doenças transmitidas por esta ave. Podendo se espalhar para outros locais do corpo, é uma doença que pode se agravar bastante.

O fungo, se atingir o sistema nervoso, provoca a meningite, processo inflamatório das membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal.

Os sintomas mais comuns desta doença são: sensação de falta de ar, espirros constantes, coriza, fraqueza e dor no corpo todo.

Infecção por Escherichia coli

A Escherichia coli (E. coli) é uma bactéria que naturalmente habita o intestino humano, mas, há alguns tipos de E. coli que são nocivas. As fezes dos pombos possuem grande quantidade dessa bactéria e, através do consumo de alimentos contaminados, por exemplo, pode causar cansaço excessivo, diarreia intensa, com muco ou sangue.

Espécies mais comuns no Brasil

Pombo-doméstico (Columba livia)

Espécie de pombo mais comum no Brasil, o pombo-doméstico prolifera-se com rapidez e facilidade nas grandes cidades por não possuir nenhum predador nesses ambientes. Pode ter as cores branca, cinza, marrom ou ter várias manchas pelo corpo.

Pombo Asa-branca (Patagioenas picazuro)

Esta espécie de pombo tornou-se amplamente conhecida por causa da canção “Asa Branca”, famosa composição de  Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira. Tem a cabeça com a cor marrom vinho, barriga pálida e sua pelagem é cinza escura.

*Imagens meramente ilustrativas

Curiosidades

Manutenção e Prevenção

Atitudes domésticas de proteção e prevenção a estas aves são importantes, mas para um controle eficaz, seguro e consciente, é indispensável a contratação de uma empresa especializada em controle de pragas. A KLIN está à disposição para oferecer o melhor serviço, solicite seu orçamento!