Ratos

Você já ouviu falar sobre leptospirose, peste bubônica, peste negra, tifo, febre da mordedura, pulgas, sarnas, micoses, entre outras? Pois é, essas doenças são transmitidas pelos ratos.

A prevenção é o caminho mais seguro para eliminar riscos em relação à sua saúde e da sua família.

Os ratos são seres neofóbicos, ou seja, têm medo do novo, vivem em colônias e dentro delas existe uma hierarquia que é dividida entre ratos dominantes e ratos dominados.

Os ratos dominantes são os roedores mais fortes, saudáveis, viris e reprodutores, possuem meia idade. Já os ratos dominados são os mais fracos, velhos, jovens ou aquele que têm algum problema de saúde ou nutrição.

Quando chega um alimento novo no local os ratos dominantes, mandam um rato dominado para se alimentar e caso ele morra logo depois de consumir o alimento, os outros animais da colônia vão associar a morte do rato com aquela fonte de alimento específica, evitando assim, que o restante da comunidade se alimente daquela isca.

Por isso o tratamento de rato não pode ser de aplicação única, deve ser feito de forma contínua, colocando várias iscas em locais estratégicos. O produto é um raticida de última geração, de dosagem única e o rato que se alimentar desse produto morrerá somente após três a sete dias. Esse é o período para evitar que os outros animais associam que a morte do rato dominado foi em decorrência do alimento.

Para um controle eficaz é necessário identificar e analisar corretamente qual a espécie de roedor, conhecer suas características e hábitos, fazer a instalação das iscas em locais estratégicos e manter um controle contínuo para que seja eliminada toda a comunidade.

Curiosidades:

Você sabia que os dentes dos ratos não param de crescer?

Os dentes incisivos do rato se mantêm em constante crescimento. Eles dependem destes dentes afiados tanto para cavar e se defender, como para roer alimentos e por uma necessidade de sobrevivência.

Para não ter o risco de ficar com os dentes grandes demais, e com isso não poderem se alimentar, eles roem de tudo o que tem pela frente. Com isso, acabam danificando vários objetos como borracha, madeira, papelão, fios e cabos de energia, podendo provocar pane elétrica e até incêndios.

O que eles comem?

Os ratos urbanos comem todo tipo de substância animal ou vegetal. Eles se alimentam do que os humanos ofertam, seja no lixo, nas dispensas, nos balcões, entre outros. Todavia, os roedores em geral possuem preferência por grãos e cereais.

Existem três espécies de roedores que são considerados pragas urbanas

Rattus Novegicus (Ratazana ou rato de esgoto): Essa espécie é a mais comum de roedores encontrada no Brasil e a mais agressiva. O seu corpo é robusto, possui em média vinte e cinco centímetros de comprimento com pelos de coloração castanho acinzentada. É o maior dos roedores considerado praga urbana.

A cauda é grossa, pelada e mais curta que o seu corpo, as orelhas são pequenas, são altamente desconfiados, possuem hábitos noturnos e são ótimos escavadores. Sua gestação é de vinte e três dias e podem produzir oito a dez filhotes.

Rattus rattus (Rato preto ou de telhado): São ratos ágeis, possuem excelente equilíbrio e são escaladores. Abrigam-se em lugares altos como forros de telhados ou topos de árvores. A sua pelagem é preta ou cinza escuro, possuem a cauda mais longa do que o seu corpo e o seu focinho é afilado, as orelhas são grandes e proeminentes.

São extremamente desconfiados, possuem hábitos noturnos e sentidos muito desenvolvidos especialmente tato e visão. Sua gestação é de vinte e um dias e podem produzir seis a doze filhotes. Uma curiosidade dessa espécie é que a sua cauda muitas vezes funciona como gancho para acessar alimentos.

Mus Musculus (Catita ou Camundongo): É o menor das três espécies de roedores. Possui uma pelagem clara, cauda do tamanho do corpo e orelhas proeminentes. São ágeis, extremamente curiosos, possuem visão muito desenvolvida e capacidade de memorizar os movimentos necessários para se locomover em um determinado local.

Vivem em grupo familiar composto por um macho, poucas fêmeas e a sua prole. O macho expulsa os machos jovens quando atingem a idade de reprodução. Sua gestação é de dezenove dias e podem produzir de seis a dez filhotes.

*Imagens meramente ilustrativas

Onde vivem?

O habitat do rato depende de qual espécie estamos nos referindo.

Os ratos de esgoto ou ratazanas vivem em tocas, em jardins e terrenos baldios, nas tubulações da rede de esgoto e água pluviais e também em depósitos de lixo.

Os ratos de telhado ou ratos pretos vivem em ambientes acima do solo como forros, linhas e caibros do telhado e em árvores.

As catitas ou camundongos vivem no solo, em ambientes internos, dentro de móveis, gavetas, motores de geladeira, embaixo de fogões e caixas.

Fale com quem entende do assunto, entre em contato com a KLIN e solicite seu orçamento!

Manutenção e Prevenção

Alguns sinais no ambiente podem determinar a presença de roedores no local:

Para manter o controle e evitar infestações, é necessário que seja feita uma manutenção para a preservação do ambiente:

Então, não hesite em contratar uma empresa especializada em controle de pragas urbanas.
Deixamos o seu ambiente saudável e livre de pragas. Fale com um dos nossos especialista agora mesmo.